Financiamento ou consórcio de carro: o que vale mais a pena?

Adquirir um automóvel é um investimento que traz conforto e praticidade, o que o torna um bem cada vez mais indispensável. No entanto, se a compra não for bem planejada ou se for feita de modo inadequado, pode trazer dores de cabeça para o dono do veículo.

Por isso, neste texto, vamos mostrar qual a forma mais viável de aquisição: se por meio de financiamento ou consórcio de carro. Não perca tempo e confira agora mesmo!

Conheça as características principais do financiamento

O financiamento é uma modalidade de empréstimo destinada à compra de um bem específico, concedido por bancos ou financiadoras especializadas. Diferentemente do que ocorre com a maioria dos empréstimos tradicionais, em um financiamento, o comprador pode dividir sua compra em uma quantidade elevada de parcelas, o que se torna uma vantagem. Além disso, logo que financia, ele já sai com o veículo.

Em geral, os financiamentos de automóveis requerem que seja dada uma entrada, cujo valor oscila, mas, fica, em média em 30% do total do carro. Além disso, por se tratar de um empréstimo, a instituição que o concedeu cobra juros, os quais estão embutidos nas prestações. Por isso, tanto a necessidade de entrada quanto os juros podem ser desvantajosos, sendo fundamental uma boa negociação.

Entenda as características fundamentais do consórcio

Se o consumidor optar por fazer um consórcio, ele participará de um grupo em que, juntamente a outros consumidores, fará contribuições mensais durante um período de tempo previamente estabelecido. Todo mês, a administradora do consórcio realiza um ou mais sorteios que visam a contemplar os participantes do grupo. Assim, o comprador não tem previsão de quando obterá o automóvel, o que é uma grande desvantagem.

Por outro lado, quando ingressa em um consórcio, o consumidor não precisará dar qualquer entrada, tendo que pagar as mensalidades sem juros, aspectos bastante vantajosos. No entanto, caso ele tenha determinado valor em caixa, pode fazer um lance para o carro, não precisando aguardar ser sorteado. É importante que o consumidor fique atento ao valor da taxa de administração, que pode ser desvantajosa para ele.

Saiba qual é a melhor opção

Para se decidir, o consumidor deverá pensar em seu dia a dia. Por isso, é importante que se faça perguntas, como: qual a urgência de ter o carro? O valor da parcela cobrada cabe em meu orçamento? Conseguirei pagar as mensalidades durante o tempo demandado? Isso é importante para que a aquisição seja planejada e não se torne um problema para quem está comprando o veículo.

Se o comprador possui pressa para adquirir o carro, está disposto a arcar com os juros — que podem ser negociados — e tem determinada quantia de dinheiro para usar como entrada, o financiamento é uma opção interessante. Contudo, se o comprador tem paciência e pode esperar para obter o carro, não pode pagar o valor da entrada e quer que em suas parcelas não sejam acrescidos juros, o consórcio é mais atrativo.

Nessa perspectiva, não existe uma decisão definitiva sobre qual a melhor opção quanto ao financiamento ou consórcio de carro. Tudo vai depender muito mais das condições financeiras e das necessidades do comprador do veículo, do que propriamente das características de cada um dos meios de aquisição. São as demandas do consumidor que definirão o melhor tipo de investimento a ser feito na compra de um carro.

Gostou do post? Então, siga a gente no Facebook e no LinkedIn!