5 dicas para identificar quilometragem adulterada em um carro

Um dos golpes mais comuns no mercado de carros usados é o da quilometragem adulterada. Como muitos compradores valorizam mais os carros menos rodados, os fraudadores alteram a marcação do hodômetro total, tentando fazer parecer que o carro rodou menos do que a realidade.

Infelizmente, mesmo com a adoção dos hodômetros digitais, este tipo de fraude continua acontecendo, com o auxílio de equipamentos capazes de interferir nos sistemas do veículo.

Um carro com quilometragem adulterada pode apresentar diversos problemas para o motorista, já que ele perde completamente o controle sobre os prazos ideais para a realização de manutenção preventiva. Além, é claro, de representar um crime já que permite a venda de um produto ilegítimo.

Mas não é preciso ser um profissional para detectar a adulteração da quilometragem. Com um pouco de atenção aos detalhes, você pode desmascarar tentativas criminosas de venda de automóveis.

Veja 5 dicas que podem lhe ajudar na compra do seu próximo carro:

1. Verifique o desgaste das peças internas

Um dos principais indicadores da real quilometragem de um carro é o estado do seu interior. Como a maioria dos veículos tem uma grande quantidade de plástico em seu acabamento, é fácil perceber se o desgaste está condizente com o número de quilômetros registrados no hodômetro.

Fique atento, principalmente, ao volante e à manopla do câmbio, que costumam ficar lisos e brilhantes à medida que o tempo passa. Muitas manchas no forro do teto e nos bancos também costumam indicar excesso de quilometragem.

2. Cheque o estado dos pneus

Se o carro estiver com menos de 30 mil KM registrado e não possuir mais os pneus originais, provavelmente deve estar com o hodômetro adulterado.

Um jogo de pneus bem cuidado pode chegar, no máximo, a 50 mil quilômetros. Verifique quais são os pneus originais do carro e veja se o desgaste deles está de acordo com a quilometragem mostrada no painel.

3. Confira o manual do proprietário

Se o carro tiver seguido o cronograma de revisões na concessionária, deve haver anotações a respeito dos serviços realizados nas páginas do manual. Você pode comparar as quilometragens registradas com a que está registrada no carro.

4. Veja o estado da placa e grade dianteiras

A placa e a grade dianteira do carro costumam sofrer muito com o desgaste pelo uso do carro, principalmente se é um veículo com grande parte da quilometragem registrada em estradas. Mas se o desgaste for excessivo e o painel estiver marcando poucos quilômetros, é sinal de adulteração.

5. Compare as datas registradas na etiqueta de troca de óleo

Muita gente se esquece da etiqueta da troca de óleo, inclusive os fraudadores.  A quilometragem registrada nela deve estar menor do que a do painel. Caso contrário, é adulteração na certa.

Para evitar qualquer dor de cabeça com a quilometragem adulterada, dê preferência a uma revenda com boa reputação para adquirir o seu carro. Assim, você evita dores de cabeça e pode ter a certeza de que está fazendo um ótimo negócio! Gostou dessas dicas? Então compartilhe com seus amigos, nas suas redes sociais!